22 de set de 2010

Todo bem que faz uma calcinha

Esta semana, peguei-me pensando sobre lingeries... quero dizer... pensando mais a fundo sobre lingeries... hehe. Como todo homem, tenho um profundo fascínio por lingeries. Espartilhos, cinta-ligas, ou o conjuntinho... não importa. O que me interessa é o conjunto da obra. Uma bela mulher, numa bela lingerie.

E por coincidência, vi um artigo onde uma mulher fala que homens não se importam muito com lingerie... infelizmente, não gravei o nome do blog pra poder linkar... Ou melhor, ela dizia que se não for daquelas lingeries "especiais", que vocês mulheres colocam apenas em noites selecionadas, os homens nem ligam pra sua lingerie...

Eu apenas gostaria de contradizer. De minha parte, ao menos, sou completamente fascinado por lingeries... desde as "comunzinhas", de algodão, que vocês, moças, usam no dia a dia, até, obviamente, aquelas feitas "pro crime". Hehe. Adoro o conjuntinho, calcinha e sutiã da mesma cor. Adoro as de algodão que te deixam com cara de "moleca". Adoro os espartilhos tão refinados. Adoro as pequetitas que te deixam com cara de safada... adoro, adoro. E adoro em filmes, a mocinha aparece só de calcinha e camiseta (geralmente dele). Ou de regatinha e calcinha... e etc...
É tão sexy... tão belo e docemente erótico. Enfim...

Acho que esse meu lado é meio "adolescente" ainda... hehe. Por mais simples e bobo que pareça, adoro quando a calcinha aparece numa cruzada de pernas, por exemplo. Ou num ventinho amigo (dos homens, né?). É tão excitante saber que sua ficante/namorada/esposa está com uma lingerie de rendinha toda sexy por baixo daquela saia. E a torturante espera até o momento de vê-la por completo, apenas com aquela peça de roupa, torna o momento ainda mais sublime.

Ok, ok... não vou negar que também é excitante quando ela está sem. Várias famosas apareceram na mídia aí mostrando a calcinha inexistente. E isso também é legal. Mas vez ou outra... não como constante. Por isso, mulheres, nunca deixem morrer a sensualidade da lingerie. Ah, a lingerie...

Só pra completar, achei um texto antigo, mas que se encaixa bacana com o assunto.
O texto a seguir foi escrito por David Coimbra, em 13/09/2008, na e-magazine Papo de Homem.


As mulheres passaram milênios sem calcinha. Desde os albores da civilização, há pouco mais de 80 séculos, foram pelo menos 75 que elas viveram desprovidas dessa fundamental peça do vestuário, acarretando algum constrangimento na hora de cruzar as pernas, além de grave risco de resfriados.
Havia também desconforto para as amantes da equitação — no momento de montar à amazona, firmando um pé no estribo e passando a outra perna por cima da sela, as moças ofereciam um revelador e aprazível espetáculo para os rapazes da época. Assim, na pudica Idade Média foi inventada uma cadeirinha de madeira que era afixada no lombo do cavalo. As moças se viam alçadas até a cadeira e cavalgavam dessa forma, de ladinho.
Lógico, a solução mais prática seria o uso de calças, mas essa não era uma boa idéia. Os medievos viviam cheios de preconceitos e regras, algumas delas acerca das roupas femininas. Calças eram proibidas às mulheres e uma das que tentou vesti-las, a jovem Joana D’Arc, terminou seus dias amarrada em um poste e queimada numa fogueira, algo que quase todas as mulheres de então consideravam muito chato.
A vida continuou assim, nada parecia mudar na sombria Idade Média, até que Catarina de Médicis deixou a Itália para se tornar rainha da França. Catarina adorava cavalgar, em seus tempos de donzela de família rica, em Florença, parecia a versão feminina do Centauro. Mas, como rainha, havia de ter novos cuidados.
Para continuar montando à vontade sem que os vassalos antevissem as intimidades mais profundas da realeza, Catarina bolou uma espécie de calçola diminuta, peça que nada tinha a ver com as calças masculinas, mas que cobria as partes pudendas a contento.
Estava inventada a calcinha. Suprema invenção.
As súditas, vendo as particularidades de sua soberana protegidas com tamanho aconchego, apreciaram a novidade e a adotaram com entusiasmo. Depois, numa atitude bem peculiar das francesas, passaram a empreender melhoramentos na invenção. Subtraíram nacos de pano daqui e dali, costuraram um adereço acolá, transformaram a calcinha, mais do que numa peça de roupa, num adereço.
Agora, se a calcinha trouxe benefícios às mulheres, bem mais trouxe para os homens. Porque, a partir daí, os homens passaram a ter o indizível prazer de tirar calcinha. As mulheres talvez não consigam compreender esse que é um dos momentos mais felizes da vida de um homem — quando ele, pela primeira vez, tira a calcinha de uma mulher há muito desejada. Diversos dos meus amigos afirmam que tirar a calcinha da mulher amada é melhor até do que o sexo subseqüente. Porque tirar a calcinha equivale a vencer as últimas resistências, a derrubar com um aríete as portas da cidadela sitiada.
Lá está aquela mulher cobiçada e linda, que seus amigos queriam, que seu chefe queria, que você sempre quis, e você prende as alças da minúscula calcinha dela entre os indicadores e os polegares, vai baixando a calcinha, baixando, baixando, e sorri, e olha para o teto, e pensa: obrigado, Senhor!
Calcinhas de lacinhos. Gosto muito.
Essa a emoção de baixar uma calcinha. Emoção que as mulheres jamais compreenderão. O sutiã. Elas cogitam muito do sutiã. E, claro, o sutiã tem o seu valor. Sobretudo o plec. É uma alegria, quando o sutiã faz plec!, ao se abrir. Mas o sutiãsutiã aberto?
A calcinha, não. A calcinha, sendo retirada, representa o tesouro sendo desvelado. Representa a visão da Terra Prometida.
Vocês, mulheres, entenderam enfim o que significa, para nós homens, tirar a calcinha da amada?
Certo, agora, homens e mulheres pensem em Henrique. Foi ele, Henrique II, o primeiro homem do planeta a baixar uma calcinha. Porque Henrique II era o rei da França, marido de Catarina. Logo, coube a ele o privilégio de executar o primeiro baixamento de calcinha da História da Humanidade.
Que momento! Que homem feliz!
Mesmo tendo ele morrido da forma que morreu, com uma daquelas lançonas medievais espetada no olho, numa agonia lenta de 10 dias de duração, mesmo tendo sofrido morte tão terrível, acredito que, no derradeiro suspiro, Henrique possa ter lembrado do doce instante no qual baixou a mãe de todas as calcinhas e, então, Henrique compreendeu que sua vida teve um sentido.
E sorriu.


As imagens na matéria original, na Papo de Homem, já estavam offline. Por isso, as imagens que ilustram esse post foram retiradas aleatoriamente da Internet. 




4 de jun de 2010

Tarde de Chocolate

Nossa... estava aqui a toa nesta tarde de sexta, quando André puxa papo comigo no MSN Windows Live Messenger e me lembrou de que tenho um blog... hehehe.

E de repende, no meio desse papo, senti-me tão nostálgico. Em casa, à tarde, sem fazer "nada" (porque eu passei a tarde fazendo coisas interessantes, como lendo sobre RPG, comendo, jogando e vendo vídeos 'educativos'...) e online no Messenger, coisa que eu não fazia a séculos!!!

Não que ele tenho voltado a se tornar tão interessante quando já foi um dia... digo, de uns anos pra cá, ele só serve pra eu falar "o essencial"... pra bater papo, mesmo, quase nunca...

E pra deixar a tarde ainda mais nostágica, resolvi fazer um de meus "famosos" (caham, caham) bolos de chocolate, enquanto espero minha amada chegar do trabalho (trabalhar no meio do feriado quando todo mundo enforcou... é dose, heim?). E agora ele está no forno... e já já vou lá fazer a cobertura... espero que fique bom. ^^

E você, ficou com vontade de experimentar o bolo?
Então, como eu fiz com os cookies, também compartilho a "receita secreta de bolo de chocolate do Thi" (e dessa vez, a imagem é de autoria própria, viu?!)

Lá vai:


Bolo de Chocolate

Clique na imagem para ver em tamanho maior.
Ingredientes

  • 3 xícaras de chá (rasa) de farinha de trigo
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 1 xícara de chá de chocolate
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 1 colher de chá de bicarbonato
  • ½ colher de chá de sal
  • 1 xícara de chá de óleo
  • 2 xícaras de chá de leite morno
  • 2 ovos


Preparo:


Misture os cinco primeiros ingredientes, junte o óleo, os ovos e, por último o leite morno, misturando bem.
Despeje a massa na assadeira (nº 3) untada e asse em forno quente (200°) por 10 a 15 min.


E pronto, só isso!
Viu só como é fácil? Ele é gostoso assim, simples, mas também fica muito bom com cobertura. Sugiro uma cobertura de brigadeiro (mas mais mole) ou então, a clássico cobertura de chocolate crocante (muito usada em bolo de cenoura).


E por hoje é só, pessoal.

13 de abr de 2010

Há três anos...

Há três anos eu conhecia essa moça linda a quem hoje chamo de "minha esposa".

Há três anos, meu coração palpitava mais forte, acelerando ainda mais no momento em que a vi pela primeira vez.

Há três anos, minhas mãos tremiam e eu suava frio enquanto nossos lábios se tocavam em nosso primeiro beijo.

É.... três anos atrás eu não sabia que iria amá-la e desejá-la tanto assim, e também não sabia que ela seria a mulher com quem eu desejaria passar minha vida (ou ao menos, grande parte dela).

Mas não posso negar que aquele primeiro momento, aquele primeiro contato... que mexeu comigo. Que ainda no primeiro olhar, senti "algo diferente". Que nas primeiras vezes que ouvi sua voz, ela já me soava doce como uma bela melodia. A única coisa que eu sabia, é que estava olhando pra moça com sorriso mais belo que já havia visto. E no fim, aquele sorriso somado ao seu olhar, me fisgaram.

E esse momento ficará pra sempre em minha memória... ela, em sua saia e blusa preta, com cabelos esvoaçantes vindo em minha direção, e eu me perguntando se estava realmente vivendo aquele momento, ou se estava a sonhar em mais um de meus devaneios insanos...

Parece que era verdade.... ou ao menos, ainda estou vivendo um sonho bem convincente.
E qualquer que seja a verdade, espero que ainda dure por muitos e muitos anos.


Obrigado por estes três anos maravilhosos, mon petit.

E que muitos outros venham, pois continuo te amando intensamente e te desejando ao meu lado em cada instante.

13 de mar de 2010

Receitas - Cookies

É, eu sei que o blog não é e nunca foi de culinária, mas eu precisava compartilhar essa deliciosa receita com vocês, meus amigos. Toda vez que faço, o pessoal aqui de casa adora, e no meu serviço, já sofro ameaças para fazer e levar...

Cookies

Ingredientes:

  • 4 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de sobremesa de canela em pó
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 200 g de manteiga (um tablete, preferencialmente sem sal)
  • 2 ovos
  • 2 ou 3 xícaras de açúcar (depende se você gosta mais ou menos doce)
  • ½ xícara de leite, aproximadamente
  • 200g de uvas passas ou gotas de chocolate

Modo de preparo:

Misture a farinha, a canela, o fermento e a manteiga até ficar parecendo uma farofa.
Acrescente os ovos, o açúcar e o leite, este último aos poucos, até dar o ponto. Se você dosou corretamente o leite, não vai ficar grudando na mão.
Se quiser pode por um pouco mais de leite e deixar a massa mais mole, quando terminar (mas fica grudando na mão, um pouco mais difícil de trabalhar).
Acrescente, por último, as uvas passas (ou o chocolate) e misture.
Faça bolinhas com as mãos, do tamanho desejado, e amasse-as entre as duas mãos, pra ficar com formato de cookie.
Coloque para assar em assadeiras untadas com margarina em forno pré-aquecido, por aproximadamente 20 minutos.



*Dica para as gotas de chocolate: compre um ou dois tabletes de chocolate meio-amargo (o ideal são 200g, mas o tablete vem com 180g... e como ninguém liga de ter um pouco a mais de chocolate), separe os bloquinhos e corte-os em 4 ou 6 pedaços, cada. Aí misture na massa. Quando assar, ele derrete e vira as "gotas de chocolate".

Esta receita me foi passada pelo Ewerton "Kbel", e aperfeiçoada por mim, depois de ser feitas várias e várias vezes. ^^

7 de mar de 2010

StarCraft II

Acompanho os jogos da Blizzard há algum tempo, já... desde Rock 'n Roll Racing e The Lost Vikings, para SNES.

Só que foi com o jogo WarCraft, em 1994, que a empresa se tornou sucesso absoluto de público, conquistando fãs e mais fãs pelo mundo, confirmado 2 anos depois com a continuação desse sucesso, WarCraft II (e sua expansão). E em 2002, a empresa inovou novamente com WarCraft III, o primeiro jogo de Estratégia em Tempo Real (Real-Time Strategy - RTS) em 3D - que também ganharia uma expansão. E o universo de WarCraft ainda renderia o MMORPG mais jogado no mundo até hoje - World of WarCraft.

Mas creio que "Diablo" foi realmente o jogo mais famoso da empresa ("Jogo do ano" em 1997). Este trouxe um novo estilo de jogos para PC, que todos copiam até hoje, usado em muitos RPGs que saem aos montes, todos os anos. E Diablo 2 apenas melhorou o que já era bom.

Já StarCraft... esse sim... o estilo era o mesmo do WarCraft, RTS, mas futurista. E foi o primeiro a usar raças com unidades e estruturas COMPLETAMENTE diferentes, mas conseguindo manter o equilíbrio entre elas. E como quase todos os jogos da empresa, ganhou uma expanção: Brood War. O sucesso foi tanto que o jogo se tornou um "esporte". Melhor Jogo de Estratégia para Computador do Ano concedido pela Academy of Adventure Gaming Arts and Design. Nove milhões de cópias de StarCraft e sua expansão StarCraft: Brood War foram vendidas desde o seu lançamento. E hoje, 12 anos após o lançamento, o jogo ainda é bastante conhecido e popular, especialmente na Coréia do Sul, onde jogadores e times profissionais participam de disputas, ganham patrocínio e competem em jogos televisionados.

Mas o anúncio da continuação, StarCraft II, em 2007, realmente me pegou de surpresa. Como fã dos jogos da empresa, vocês não imaginam minha excitação ao ver o vídeo abaixo pela primeira vez, 3 anos atrás:



A continuação de Diablo (2) já era esperada por mim a século, e confeso que não foi uma supresa (apesar de também ter me causado excitação o lance da parede de gelo se quebrando aos poucos no site da empresa, pouco antes do anuncio oficial, e os eastereggs que geraram discusão por diversos fórum pela internet se era ou não verdade). Mas StarCraft... cara... uma continuação... lol! \o/

E agora, 3 anos após o anúncio, alguns poucos afortunados (e curiosos/insistentes) podem finalmente ver como ficou, com a versão beta que tá disponível. E cara, posso dizer pra vocês: tá tudo lá!
Tudo que tornou a série famosa, as únidades clássicas (quase todas), as raças e tudo o mais! Extremamente nostálgico. Taí um jogo que com certeza, pretendo guardar um dinheirinho para ter original em minha prateleira (assim como tenho o StarCraft original, e tive o Diablo II e expansão).

Bah... nem tudo é perfeito... ainda sinto falta do "Go, go, go..." e do "Rock'n'roll!". ^^

17 de fev de 2010

Top5 – Comerciais que fizeram história na publicidade brasileira

O Insoonia fez um post sobre 5 comerciais que fizeram história na publicidade brasileira. Todos famosos, todos marcantes.
O "Semana", da Revista Época, ficou bem bacana (e curioso, um comercial com 3min de duração). O do "Tio Sukita" também é famosão...
Mas cara, esse primeiro - "Hitler", da Folha de São Paulo - é simplesmente fantástico!!!
Segue:

1. Hitler – Folha de São Paulo
Não preciso falar muito sobre esse clássico da w/brasil né ? Não me canso desse comercial.



2. A Semana – Época
Muito bom também. Muita gente deve lembrar dele na TV.



3. Garoto Bombril – Bombril
O primeiro da série do garoto propaganda mais famoso do Brasil. Criado pela DPZ…



4. Pipoca com Guaraná – Antarctica
Talvez um dos mais famosos jingles da publicidade brasileira. Nizan estava inspirado viu.



5. Tio Sukita – Sukita
Esse marcou!

14 de fev de 2010

Conheça Julia Nunes

Foi minha amada Gi quem me apresentou a música dessa loirinha, e achei fantástica!

Usando edição de vídeo/audio, Julia coloca sua própria voz como segunda voz (ou coro) em suas músicas, fazendo um efeito muito legal d'ela cantando com ela mesma.

Da Wikipédia:
Julia Nunes (Fairport, 3 de janeiro de 1989) é uma cantora e compositora norte-americana. Foi através do Youtube que a sua carreira progrediu, os seus vídeos de canções pop no YouTube, no qual ela canta (emprega nas suas músicas a sua voz como segunda voz - ou voz do coro) e toca guitarra, escaleta e um Bushman Jenny ukulele. E foi a actuar com a ukulele que ela ganhou o primeiro prêmio na competição de vídeo Bushman World Ukelele de 2007.
Além de ser uma bela moça, é muito talentosa e tem uma bela voz. Suas versões para músicas famosas são deliciosas de se ouvir. Gi tem vários vídeos dela no orkut, e apesar de eu mesmo nunca ter procurado por um (exceto hoje, para esta postagem), sempre escuto quando a Gi os abre.
A moça já tem dois CDs gravados, ambos com composições originais, e é uma recomendação deste que vos fala.

No site dela você pode comprar as músicas para download, tanto das originais de seus álbuns, como de suas versões para músicas de bandas famosas, além de ver fotos e vídeos, entre outras coisas, e na página dela no Youtube, você pode acompanhar as músicas online.

Algumas de suas gravações:

Do You Believe in Magic, The Lovin' Spoonful


Accidentally in Love, Counting Crows


All My Loving, The Beatles


Odd (original Julia Nunes)


Quer ver mais?
Vai lá...,

11 de fev de 2010