15 de abr de 2008

Dream On

Tillian
What are you waiting for? You're faster than this. Don't think you are, know you are. Come on. Stop trying to hit me and hit me.

- Morpheus, The Matrix



Queridos leitores (e leitoras =D),
Segue a quarta (e totalmente inédida xD) parte do conto.
Não reparem muito em erros de português/digitação, por favor... não tive muito tempo de revisar (mas se verem algum mais sério, me avise nos comentários que corrijo... ^^)
Espero que apreciem.

Até


Crétidos da imagem: DeviantArt - pandora-6666

Dream On – parte 4

Mais uma noite. As estrelas, a lua, o frio, o vento... tudo parecia mais real agora. Antes, Lucius não havia reparado em cada um desses detalhes, mas agora, tendo vivenciado o mesmo sonho várias noites, ele começou a prestar atenção nas belas estrelas, iluminando o terraço. Na lua, cheia como um queijo, bela e clara. No frio, que agora parecia se fazer mais presente. O vento balando seus cabelos... tudo parecia mais... vivo...
E novamente os tiros. Novamente a perseguida. Lucius aguardava o momento em que ela sairia pela porta, fugindo de um homem de terno. Ela olharia pra ele e saltaria para o novo prédio, fugindo. Mesma cena, sempre. E depois, o homem atiraria em Lucius, e este deveria tentar esquivar da bala, como a mulher lhe disse a algumas noites atrás. No entanto, há várias noites a bala sempre o acerta, finalizando o sonho.
A porta se abre, a bela moça sai. Seus cabelos esvoaçando ao vento, agora mais forte. Ela, ao invés de correr, olha em direção a Lucius, que se assusta. Ela ainda não correu. Estava ali, parada, olhando pra ele.
“Pare de somente se jogar no chão.”
Lucius hesitou. Deu um passo pra trás. Susto. Sentiu seu coração disparar.
“Sinta a bala. Veja a bala. Seja a bala.”
Lucius ouve passos. O perseguidor se aproxima. Ela olha para a porta, olha para a beirada do prédio, olha para Lucius. Parece indecisa. Lucius então abre sua boca e pronuncia, pela primeira vez, uma palavra:
— CORRA!
Ela assusta-se com o grito. Sorri. Um sorriso malicioso, sedutor. Belo. A mulher saí em disparada em direção a Lucius e este pode então contemplar, pela primeira vez, seus belos olhos verdes, claros, contrastantes com seu cabelo negro. Ela corre, passando por Lucius e alcançando a beira do prédio imediatamente atrás dele. Lucius viera para vê-la saltando, e ao olhar pra frente novamente, depara-se com o perseguidor em seu terno negro, a arma apontada em sua direção.
Disparo.
Lucius vê a bala cortando o ar em sua direção, mas ao invés de olhar, ele fecha os olhos e, com isso consegue sentir o deslocamento de ar causado pela bala, percebendo a velocidade com que ela se desloca, a trajetória, o alvo. O tiro corta o ar e passa por Lucius. Este abre os olhos, estupefato. “CONSEGUI! DESVIEI!”. Mas sua felicidade dura pouco. Ao retornar a realidade, vê o homem de terno o encarando com um semblante nada agradável... o gatilho é puxado novamente, mas dessa vez, Lucius corre e salta atrás da mulher antes que os tiros o alcancem.
Salta do prédio e cai no chão, ao lado de sua cama. O sonho acabara. Lucius sente uma incrível satisfação em ter, finalmente, depois de tantos sonhos, conseguido escapar do tiro. Mas... como? E quem era a mulher? E o que isso representava? Quantas perguntas... que dor de cabeça... “Oh, droga! Estou atrasado...”
Comentários
4 Comentários

4 Comentários:

  1. Muito bom!!!! Estou gostando, mon sieur! Acompanhando o personagem a desvendar seu mistério!!!

    Só uma pequena coisa..... não chame a moça por "perseguida"... porque eu começo a rir e não presto tanta atenção ao texto!

    Você sabe o que dizem alguns que é a "perseguida"? huhuaheuiheiuaheuaiehauiheuiahea

    Beijos amáveis (e bravos de começo de dia)

    ResponderExcluir
  2. Perseguida realmente nao é um nome agradavel de se chamar a moça!
    Nao sei se sao as frases que abrem os textos ou se esta é sua intençao mas todos os testos me lembram matrix, mas trazem uma leitura interessante deste universo! Os textos estao muito bons! Continue!
    Abraços

    Augusto, Arcanjo.

    ResponderExcluir
  3. Cada vez mais você esta caprichando. Parabéns!
    Beijos com saudades

    ResponderExcluir
  4. Argh, minhas retinas estão queimadas do preto do blog. :/

    Parágrafos menores, por favor. Já é difícil ler quando você não separa os parágrafos, quanto mais quando eles são grandes! =O

    Gostei do pseudo-fluxo de consciência da terceira parte, centrada apenas em Lucius e na vida dele (é a patre da história que explica de onde veio o personagem e porque ele está ali, hueheuheuehe). Mas acho ele mediano demais. Custava nada ele ter alguma coisa mais marcante - sei lá, ter perdido a virgindade com uma mexicana, qualquer coisa. xD

    Protagonistas precisam ter algo que cative o público - é por isso que Harry Potter, para os leitores mais maduros, é um saco. Os irmãos Weasley são muito mais interessantes. Isso, não vou mentir, até então falta em Lucius. Até agora, a única coisa interessante dele é o nome. :p

    Fale das roupas. Elas sempre dizem algo sobre os personagens. :P

    No geral, a narrativa tá muito legal, dá vontade de ler e saber o que acontece depois. Gostei da mulher, e tá faltando só o mentor.

    Porque boas são as histórias que falam da busca de si mesmo. =) Keep goin'.

    E leia meu blog, eu atualizei.

    ResponderExcluir